The urban rehabilitation of offices that rehabilitates companies

article (portuguese version)
November 2018 -
01 01

A reabilitação urbana de escritórios que reabilita empresas

A crescente falta de espaços para escritórios no centro de Lisboa, tem vindo a despoletar nos últimos anos a procura de soluções alternativas em zonas anteriormente não consideradas. Maioritariamente, zonas de armazéns que outrora foram empresas das mais diversas áreas de atividade e cujo estado de degradação não é claramente atrativo à primeira vista. Mas devemos dar-lhes uma segunda oportunidade.

Se por um lado a reabilitação de um edifício nos transporta automaticamente para um hipotético rol de problemas em que não queremos pensar, mas que têm solução, por outro traz consigo inúmeras vantagens que vale a pena considerar. Falamos do espaço em si e da sua organização, falamos dos colaboradores e do que os motiva e, inevitavelmente, falamos dos claros benefícios para a cidade.

Não há qualquer dúvida, um edifício reabilitado tem outro encanto. Desde o traço único da fachada aos pormenores interiores, sem esquecer um pé direito inimaginável nos dias de hoje, um edifício antigo transmite outro charme e glamour. Há um peso institucional que salta à vista num edifício deste tipo, uma alma que não existe num escritório moderno.

Dependendo do estado de deterioração do edifício, acontece ter de demolir todo o seu interior e manter apenas as fachadas. Parece-lhe um problema? Pense na oportunidade única para definir uma workplace strategy de raiz, sem contingências. Olhe para o negócio, para o tipo de relações e colaboração que quer fomentar entre os seus colaboradores. Quer um espaço colaborativo que provoque o encontro e a troca de ideias de forma informal? Necessita de Huddle rooms para pequenas reuniões e videoconferências com trabalhadores remotos? É incrível o que um bom planeamento e uma estratégia de workplace bem definida podem influenciar o dia-a-dia dos colaboradores e a saúde da sua empresa.

É também importante referir que o conceito do espaço não fica condicionado num edifício reabilitado. O conceito nasce de uma metodologia sustentada na análise da cultura, visão, valores, marca, forma de interação humana, objetivos de desempenho e metas financeiras, que se refletem na criação de espaços com o seu próprio “ADN”, em qualquer tipo de edifício. Na OPENBOOK Architecture chamamos-lhe Brandchitecture.



Um caso de sucesso: A sede da VdA – Vieira de Almeida & Associados

Localizado na zona ribeirinha de Lisboa, o novo escritório da VdA é o resultado de uma profunda reabilitação de uma antiga fundição do século XIX. A premissa da proposta era preservar a memória e o caráter do complexo, adaptando-o à sua nova utilização e propósito.

O projeto visou a preservação, unificação e enfatização das diferentes linguagens arquitetónicas presentes, desde a arquitetura industrial do século XIX até às fachadas neoclássica e Arte Nova. Organizado em três andares, os grandes espaços verticais e horizontais e os espaços de circulação permitem a comunicação visual, criando relações espaciais.

O projeto integrou também a nova filosofia de funcionamento que a VdA pretendeu adotar, de modo a refletir a sua imagem, cultura e posicionamento institucional, e procurando ainda reunir nesse espaço conceitos de proximidade, sustentabilidade, inovação e tecnologia, preservando a história e a memória de uma antiga fundição.

Tem sido reconhecido nacional e internacionalmente com diversos prémios, entre eles os prestigiados Architizer A+Awards, considerado os “Óscares” da arquitetura mundial, e Architecture Masterprizes.

O projeto foi coordenado pela OPENBOOK Architecture e desenvolvido em co-autoria com a PMC Arquitectos, em articulação com a VdA e a Fidelidade Property Europe, este último o proprietário e investidor do edifício.


A OPENBOOK Architecture é um atelier português de arquitetura multidisciplinar, fundado em 2007, atualmente composto por uma equipa de mais de 30 colaboradores, incluindo arquitetos, designers e gestores de projeto. A experiência da sua equipa é refletida no seu vasto portfolio em áreas tão reconhecidas como a habitação, turismo & lazer, equipamentos de educação e desporto, centros comerciais, logística, comércio e indústria ou projetos urbanísticos, com maior foco na vertente de edifícios corporativos e unidades de saúde/hospitalares. As suas principais áreas de atuação estão centradas no desenvolvimento e acompanhamento de projetos de arquitetura, engenharia e consultoria imobiliária.

O atelier distingue-se pelo seu já vasto portfolio corporativo enriquecido com o desenvolvimento e entrega de importantes projetos de referência nacional e internacional, de que são exemplos mais emblemáticos, a criação do Deloitte HUB, os novos escritórios da Everis e da VdA – Vieira de Almeida ou Abreu Advogados, o representativo edifício para a NOKIA Conhecimento, o Hospital Luz Saúde Vila Real e a sede da Microsoft. A OPENBOOK Architecture tem igualmente a seu cargo o desenvolvimento do projeto de arquitetura de interiores da nova sede da KPMG, reconhecida consultora líder mundial na prestação de serviços nas áreas de auditoria, fiscalidade e consultoria.


*Este artigo foi publicado originalmente no Jornal Económico.